ESTÓRIA DE DOIS BRAÇOS




de Emílio Carlos

Era uma vez dois braços: o direito e o esquerdo.
O braço direito se achava o melhor. Era ele quem penteava o cabelo, escovava os dentes, pegava a colher na hora do almoço. Era o braço direito que coçava a cabeça, o dedão do pé e até punha o dedo no nariz.
Enquanto isso o braço esquerdo ficava só ali parado, olhando o braço direito com um pouquinho de inveja... E o braço direito só fazendo tudo.
Às vezes o braço direito precisava do esquerdo pra pegar alguma coisa mais pesada, lavar o rosto, essas coisas. Mas só às vezes.
O braço direito começou a dizer que o esquerdo tinha a mão boba (olha só que coisa!). E disse que o esquerdo jamais seria esperto como ele.
O esquerdo disse:- Isso é porque nosso dono é destro. Se ele fosse canhoto mais esperto eu seria.
Mas o braço direito... fingiu que não ouvia.
Um dia o braço direito se machucou, foi ao médico e ficou enfaixado. Não podia fazer nada, o coitado. Tudo doía, tudo era uma agonia.
Aí o braço esquerdo se ofereceu para ajudar. O direito até resistiu um pouco; mas precisava descansar para sarar e por isso mesmo aceitou.
O braço esquerdo ficou todo feliz e foi logo pondo a mão na massa.No começo era desajeitado, mas depois foi pegando o jeito. E fez que fez até que era quase tão bom quanto o direito.
Então eles perceberam que ninguém é melhor que ninguém e que um precisava do outro. E mesmo depois de ter sarado o direito sempre chamava o esquerdo para dar uma ajuda.




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam pela moderação antes de serem publicados.