O BRIGUENTO




O BRIGUENTO

De Emílio Carlos


Era uma vez um menino chamado Elias.
Elias era briguento como ele só. Na escola brigava com todos os colegas. Batia nos meninos e nas meninas assim, por qualquer coisa.
Querem ver? Um dia o Elias levou um carrinho para a escola. E o Joãozinho gostou muito do carrinho.
- Olha que carrinho legal! – disse o Joãozinho
Foi só o Joãozinho chegar perto do carrinho... que o Elias já deu um tapa na cara dele. O Joãozinho chorou e chorou. Coitado.
Depois, na hora do lanche, a Talita sentou perto do Lucas. E lá veio o Elias dizendo:
- Sai que esse lugar é meu!
- Mas eu cheguei primeiro... – disse a Talita.
Sabem o que o Elias fez? Deu um empurrão na Talita, que foi parar no chão. E a Talita chorou e chorou. Coitada.
Na hora de brincar no parquinho o Jorginho se sentou no balanço. E lá veio o Elias arrumar confusão:
- Sai daí que eu quero brincar!
- Me deixa brincar um pouquinho, vai – pediu o Jorginho.
Não adiantou pedir. Porque o Elias deu um soco no Jorginho, que caiu no chão. E o Jorginho chorou e chorou. Coitado.
O Elias já tinha batido em todos os meninos da classe. E em todas as meninas também.
Daí sabem o que aconteceu? Todo mundo parou de falar com o Elias. Ninguém mais brincava com ele. Ninguém mais conversava com ele.
O Elias ficou sem amigos. E quando percebeu isso... o Elias chorou e chorou. Coitado.
Na hora da aula o Elias se sentou lá no cantinho, triste, no fundo da sala, chorando. Na hora do lanche ele foi comer do outro lado do pátio, triste, chorando. E na hora do parque ele se escondeu na casinha de brinquedos. E ficou chorando.
Daí o Joãozinho sentiu falta do Elias. E a Talita também. E o Jorginho também. Bem, todo mundo sentiu falta do Elias.
Procuraram e procuraram – até que encontraram o Elias ali, chorando na casinha de brinquedos. Mas por que ele estava chorando?
- Porque vocês não querem mais ser meus amigos – disse o Elias chorando.
Daí os colegas explicaram:
- É porque você só bate na gente.
O Elias percebeu que estava errado. Não se pode bater nos amigos nem nas amigas. E então ele disse:
- Prometo que nunca mais eu vou bater nem empurrar.
Os colegas do Elias ficaram tão felizes que até gritaram êêêêêê bem alto.
Dali pra frente eles ficaram amigos. Ninguém nunca mais bateu em ninguém. E sabem o que aconteceu? Todos foram muito felizes.



emiliocarlos@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam pela moderação antes de serem publicados.