MINHOQUILDA E A GALINHA CO-CÓ




MINHOQUILDA E A GALINHA CO-CÓ
 
 
Era uma vez uma minhoca chamada Minhoquilda.
Morava desse lado do morro na casa de seus pais: seu Minhoco e dona Minhoca.
Minhoquilda tinha um irmão – o Minhocaldo – e os dois gostavam muito de brincar juntos.
Toda manhã seu Minhoco saia para escavar a terra. Dona Minhoca cuidava da casa e às vezes ia até o mercadinho das minhocas, comprar algumas coisinhas.
Do outro lado do morro morava a galinha Co-có. Ela vivia ciscando por aí, cutucando o chão em busca de alguma coisa para comer. Gostava de comer milho e insetos. Mas seu prato preferido era... minhocas.
Naquele dia a galinha Co-có já tinha vasculhado todo o lado de lá do morro. E não tinha achado uma única minhoca. Na verdade elas fugiram pro lado de cá do morro, com medo da galinha.
A galinha Co-có então foi subindo o morro, subindo o morro, e de repente chegou lá no alto. E viu a casa da Minhoquilda. Viu mais ainda: dona Minhoca saindo de casa e dizendo:
- Eu vou ao mercadinho, crianças. Fiquem aí dentro de casa até eu voltar.
- Sim, mamãe – responderam Minhoquilda e Minhocaldo.
Nesse instante a Co-có teve uma idéia: papar os dois irmãos.
Esperou dona Minhoca se afastar, pensando: “Essa eu papo mais tarde”.
E desceu o morro sem fazer muito barulho, pra não assustar Minhoquilda e Minhocaldo.
Foi se aproximando da casa e com seu bico bateu na porta.
- Quem é? – perguntou Minhoquilda.
- Sou eu – respondeu a galinha Co-có.
- Eu quem? – perguntou Minhocaldo.
- Eu – respondeu a galinha. - Abram a porta.
Mas os dois irmãos não abriram. Porque sabiam que não se deve abrir a porta para estranhos.
A galinha Co-có ficou brava. Mas tentou disfarçar o nervosismo dizendo:
- Eu trouxe uns docinhos pra vocês.
A galinha mentia para enganar as minhocas. Mas Minhoquilda e Minhocaldo não caíram na conversa.
- Não podemos abrir. Você é uma estranha e não podemos abrir a porta.
A galinha ficou morta de raiva. Bicou mais forte ainda na porta e disse:
- Abram logo. Aqui fora está muito frio.
Mas as minhocas olharam para a janela e viram o lindo sol brilhando e esquentando tudo. Era mais uma mentira da galinha Co-có.
As minhocas então olharam pelo buraco da fechadura e viram a malvada galinha na porta. Se assustaram e tentaram pensar num jeito de se livrar da galinha, antes que sua mamãe voltasse e a galinha atacasse dona Minhoca.
A única solução encontrada foi usar o rádio-minhoca para chamar o pai.
- Papai! Socorro! Estamos sendo atacados pela galinha Co-có.
Ao ouvir isso seu Minhoco reuniu todos os seus amigos minhoca para salvar sua família. Segurando pás e martelos as minhocas resolveram enfrentar de vez essa galinha que sempre os atacava.
A notícia se espalhou pelos túneis e dentro de pouco tempo centenas de minhocas estavam andando por baixo da terra na direção da casa do seu Minhoco.
Enquanto isso a galinha Co-có perdia a paciência de vez:
- Abram senão eu vou derrubar a casa de vocês!
E dizendo isso deu uma bicada bem forte no telhado. Mas a casa foi construída para resistir aos ataques das galinhas – e por isso nem se mexeu.
Minhoquilda e Minhocaldo riram.
A galinha Co-có então ameaçou:
- Ah é? Pois então eu vou sentar em cima da casa de vocês!
Os dois irmãos ficaram com medo. Por essa eles não esperavam. A casa não resistiria a isso.
E foi nessa hora que um exército de minhocas, liderado pelo seu Minhoco, apareceu da terra cercando a Co-có.
- Vá embora daqui, Co-có! – disse seu Minhoco muito bravo.
A galinha ainda tentou atacar seu Minhoco. Mas todas as minhocas atacaram primeiro - e a única saída da Co-có foi fugir, voltando para o lado de lá do morro.
- E não volte nunca mais! – disse seu Minhoco enquanto a galinha subia o morro apavorada.
Todos gritaram “êêêêê” comemorando. E foi nessa hora que dona Minhoca, voltando do mercadinho, viu aquela multidão e pensou:
- Será que o Minhoco vai fazer uma festa? Se for vamos precisar de mais suco e refrigerante.
 
Emílio Carlos
emiliocarlos@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários passam pela moderação antes de serem publicados.